Leonel Costa lança o seu álbum de estreia, Nó de Pinho

capa-cd-no-de-pinho-leonel-costa

Foto: Marcelo Casagrande

O compositor e violonista caxiense Leonel Costa faz show de lançamento do seu primeiro CD autoral, na segunda-feira, dia 9 de outubro, às 18h, no Palco Central da Feira do Livro de Caxias do Sul. Intitulado “Nó de Pinho” – fazendo referência tanto aos pinheiros típicos da região da Serra Gaúcha, quanto ao violão, também conhecido como pinho – o álbum possui 10 músicas instrumentais, sendo uma delas criação de Ezequiel Duarte, que também faz participação especial na faixa. O material, que ainda conta com participação de outros músicos, tem financiamento do Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul.

O álbum traz faixas com diversos significados, tendo alguns títulos de homenagens, como “Ao Jardim” dedicada ao já falecido professor de música Carlos Jardim, ou “Garotero” alusiva ao compositor e instrumentista Garoto. O CD estará à venda no dia do show por R$ 10,00. 

 

Leonel Costa

É um músico multi-instrumentista que começou como autodidata em sua cidade natal, Caxias do Sul. Fez parte dos grupos Seresteiros do Luar, Diabo a Quatro e Duo Avesso, Cachaça de Rolha, RegraTrês, Poder da Criação e Choro Hy-Brasil. Participou da gravação do CDs “Amor Atemporal”, de Pietro Ferretti e “Sevícias Emocionais”, de Augusto Nesi. Atuou, durante três anos, como violonista do Coral Unibanco de São Paulo, sob regência do maestro Wilson Sá Brito. Também participou da Maratona de Paris como integrante da escola de samba irlandesa Morro 16. Atualmente reside em Caxias do Sul onde se apresenta como violonista solo, músico de apoio de alguns intérpretes como Ana Jardim.

Anúncios

Plano 13 lança seu primeiro disco, Longe do Impossível

Plano.jpg

A banda de pop rock caxiense Plano 13 lança nesta sexta-feira, dia 6, seu primeiro disco, Longe do Impossível. O show com entrada gratuita ocorre a partir das 20h, na Sala de Teatro Valentim Lazzarotto, junto ao Centro de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho. O CD é financiado pelo Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul.

O trabalho autoral de 12 canções reflete bem o estilo da banda, formada em 2011: uma harmoniosa mistura de rock e pop, com influências do reggae e do RAP. No repertório do show desta sexta-feira o grupo vai interpretar, além das faixas do disco, alguns covers, os quais prefere guardar como elemento surpresa. Entre as influências da Plano 13 estão bandas como Charlie Brown Jr., CPM22, Legião Urbana, Tihuana e Red Hot Chili Peppers.

Formada por Rogério Henquer (voz, guitarra e violão), Alan Pavan (guitarra, violão e backing vocal), Gabriel Cardoso (baixo e backing vocal) e Ismael Galiotto (bateria), a Plano 13 já tem alguns trabalhos de destaque no meio cultural de Caxias e algumas regiões do Rio Grande do Sul, a exemplo dos singles Berlinda e 3 Anos Atrás. Na trajetória do grupo também se destacam as canções Aquela Arte e Caminhos, uma das músicas de trabalho de Longe do Impossível.

A produção do disco é assinada pelo vocalista da banda e por Edu Coelho, que já assinou parcerias com Hique Gomez, Claus & Vanessa e Rosa Tattooada. No dia 14 deste mês a banda também se apresenta na Festa Nacional da Música, em Porto Alegre.

 

Os novos caminhos de Brenda Valer

capa cd Brenda Valer Piripaque
Lançamento do videoclipe Eu Vou a Pé e do disco Piripaque consolidam carreira da cantora caxiense
Pense no amor, e também nos encontros e desencontros a que ele nos submete. Muito dessa reflexão está em Eu Vou a Pé, videoclipe que a cantora caxiense Brenda Valer lança nesta sexta-feira (29) em seu canal no youtube e em outras plataformas digitais. Autora do hit Quase, lançado há cerca de três anos e que em curtíssimo espaço de tempo chegou a 80 mil acessos, Brenda agora deseja, mais do que repetir esse sucesso, consolidar-se como compositora e intérprete, exatamente nesta ordem.
O clipe de Eu Vou a Pé conta histórias paralelas de casais que buscam se reencontrar, diante de um cenário esteticamente urbano e poético. A letra e a voz de Brenda são conduzidas por um folk melódico e macio, o mesmo que nos últimos dois anos a alçou à condição de hitmaker de respeito tanto em FMs quanto no youtube. O roteiro, a produção e a direção do videoclipe são artesanais, assinadas pela própria cantora e pela fotógrafa Franciele Teles, o que lhe confere ainda mais autenticidade. Sobre essa parceria, Brenda explica: “A gente troca muitas ideias, pensamos parecido, por isso dá certo. E também contamos com a ajuda dos amigos, que atuaram porque acreditam na minha música. Principalmente por isso, por ser um trabalho de equipe, fiquei muito feliz com o resultado”, comenta Brenda. Além dela, o elenco de Eu Vou a Pé é formado por Dayane Mussoi, Fábio Vergani, Jaqueline Santini, João Vitor Perozzo, Laiane Linhares e Otávio Rodrigues.
A partir do lançamento de Eu Vou a Pé, Brenda inicia uma agenda importante de compromissos que atendem à intenção pessoal de ampliar o alcance de suas músicas e aperfeiçoar seu estilo. O mais significativo ocorre dia 21 de outubro, no Teatro São Carlos, em Caxias do Sul, quando faz show de lançamento de seu primeiro disco, Piripaque, com 11 faixas – entra elas os hits Quase, Coisas Que Vi Contigo e Cedo, até então lançadas somente como singles. A produção musical do disco, lançado por meio do Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul, é de Mateus Borges e Fabrício Beck.
Além de apresentar músicas que estão no CD, Brenda vai interpretar mais 10 canções inéditas e com uma levada melódica um pouquinho diferente do que seu público está acostumado.“Pensei muito no formato do show, pois queria que as pessoas percebessem a mudança pela qual passei como compositora. Se antes eu falava de amor e quase amores, agora falo também sobre problemas cotidianos, como preconceito, inveja, ganância…”, revela a cantora de 24 anos, letrista incansável e autodidata no violão e ukulele. “Comecei a compor aos 10 anos, quando nem sabia ao certo o significado daquilo. Hoje coleciono muitas músicas, parece até não ser normal escrever dessa forma. Componho mais do que ouço músicas”, observa Brenda. Ela encara o show de lançamento de Piripaque como um momento de revelação, para mostrar o melhor de si. “Vai ser uma virada de página. Minha intenção é consolidar um público interessado em músicas verdadeiras, que passem algo de valor, ao contrário do que se tem feito muito hoje em dia no Brasil, ou seja, músicas com pouca verdade, que não acrescentam”, descreve.
O show de lançamento de Piripaque terá dois momentos, o primeiro acústico e o segundo com a participação de uma banda formada por Mauro Caldart (guitarra), César de Campos (bateria e percussão), Maurício Pezzi (piano) e Joce Cristóvão (baixo). No repertório, só músicas próprias.

Paola e Gabriel lançam single, videoclipe e revelam a capa do seu álbum de estreia

Queijo e um Vinho é a primeira música de trabalho do CD Empírico

capa empirico - paola e gabriel

A dupla de piano e voz Paola Delazzeri e Gabriel Lopes lança o primeiro single do novo CD Empírico: Queijo e um Vinho estará disponível nas plataformas digitais a partir do dia 28 de julho, mas a música ganhou também um videoclipe, produzido por Felipe Mello durante as gravações do álbum, e que já pode ser conferido no canal do YouTube do duo. O disco de estreia, financiado pelo Financiarte da Prefeitura de Caxias do Sul, foi gravado ao vivo no Teatro Municipal Pedro Parenti, em março de 2017 e terá show de lançamento no dia 17 de agosto.

Produzido pelo renomado pianista gaúcho Luciano Leães, Empírico foi gravado, mixado e masterizado por Carlos Balbinot e Fabrício Zanco. O CD está em processo de prensagem. Enquanto isso, Paola e Gabriel divulgam a arte da capa do novo álbum, produzida pela Egge Agência Digital.

Para a identidade visual trabalhou-se em cima do conceito da Aurora Boreal, que acontece quando duas partículas diferentes – representando os dois músicos, o piano e a voz – se encontram no ar. As cores utilizadas representam o equilíbrio entre masculino e feminino e as linhas curvas simbolizam as ondas sonoras das músicas.

O lançamento de Empírico está agendado para 17 de agosto, às 20h, quando Paola e Gabriel voltam ao palco do Pedro Parenti para a primeira apresentação ao público da turnê do novo disco. A entrada é franca, mas sugere-se a doação de 1kg de alimento não perecível. O disco apresenta um som contemporâneo, trazendo referências da nova MPB, do pop e também do jazz, soul e blues. O cotidiano serviu de inspiração para as letras, que abordam temas filosóficos, como a dualidade da vida.

Sobre a Dupla

A cantora Paola Delazzeri e o pianista Gabriel Lopes iniciaram a parceria em 2012, tocando em bares e eventos sociais. Depois de estabelecer uma carreira sólida trabalhando com covers, a dupla resolveu alçar novos voos. Por meio do Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul, o duo pôde concentrar-se em dar vida a uma produção inédita. Após um período de incubação e processo criativo, os músicos compuseram um repertório próprio de nove faixas.

Samuel Sodré lança novo álbum de música infantil

Segundo CD infantil do cantor fala sobre a realidade de forma lúdica

CAPA SAMUEL-SODRE

Com elementos da MPB e da música mineira, o cantor e compositor Samuel Sodré apresenta o álbum autoral “Nas Asas da Canção” no dia 29 de julho, às 17h, em um show de lançamento ao vivo na Sala de Teatro Valentim Lazzarotto, no Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul. A entrada é franca e sugere-se a doação de 1kg de alimento não perecível, que serão doados para o Banco de Alimentos.

Com versos poéticos e letras que brincam com a cultura popular, “Nas Asas da Canção” fala sobre fantasia, esperança, natureza, família e aborda com leveza a busca por um mundo melhor. Por meio das rimas e melodias, é possível encantar crianças e adultos com suas histórias cantadas, característica de um músico que também é contador de histórias. “É um CD lírico, mas atual. Apesar de ser voltado para o público infanto-juvenil, contempla elementos que possibilitam uma sensação sensorial, que estimula o pensamento crítico de uma forma leve e descontraída”, destaca Sodré.

O álbum também revela uma riqueza sonora com a participação de músicos como Paulo Johann no teclado, Edmur Pereira na percussão e bateria, Alexandre Hermes na flauta e Jonas Godoy, como arranjador e instrumentista (ukulele, guitarra e baixo). Samuel ainda convida a filha pedagoga, Bárbara Sodré, para uma participação especial nos vocais.

“Nas Asas da Canção” foi contemplado pelo Financiarte, edital da Secretaria Municipal da Cultura de Caxias do Sul. A produção cultural é de Caliandra Troian, produção musical de Samuel Sodré e coprodução musical de Jonas Godoy.

O álbum

“Nas Asas da Canção” é um álbum destinado ao público infanto-juvenil, onde Samuel Sodré apresenta composições com linguagem poética, que priorizam a imaginação, a criatividade, relacionando o sonho e a fantasia com a realidade. As letras sugerem a reflexão do público em defesa da vida, no respeito às diferenças, na pluralidade cultural, étnica e religiosa.

Preço do CD: R$ 15

Ouça o single Mamãe aqui.

Samuel Sodré

Natural de Minas Gerais com residência em Caxias do Sul desde 1995, Sodré é compositor, músico e contador de histórias. É graduado em Publicidade e Propaganda e atua também com produção de jingles e trilhas sonoras. A música de Sodré é resultado de suas andanças pelo Brasil. Na estrada há vários anos, Samuel traz na bagagem outros quatro CDs: Sede dos Seres, Além das Gerais, Asas, e seu primeiro álbum infantil Reino Encantado.

 

 

ZAVA divulga capa e lança o primeiro single do seu novo álbum

Capa álbum Conatus - banda ZAVA

Lançamento de “Em Círculos” ocorre nesta sexta-feira, dia 16, nas plataformas digitais

A banda ZAVA inicia a divulgação do seu terceiro álbum, intitulado CONATUS, nesta sexta-feira, dia 16 de junho, com o lançamento da música “Em Círculos” nas plataformas digitais.

A música é baseada no texto/desabafo “Escuta, Zé Ninguém”, de Wilhelm Reich, que é uma carta direcionada ao homem médio, acovardado, que tem medo de romper o status quo, medo da autonomia, que é incapaz de se libertar e, sobretudo, de lidar com a sua liberdade. Diz respeito, também, aos que têm medo do outro, do diferente, e que vivem de acordo com uma visão limitada, determinada por tradições e valores preconcebidos, tidos como “verdades inquestionáveis”.

Além do single, a banda também revelará a arte da capa do novo álbum, trabalho assinado por Sara Fontana e Rudinei Picinini.

A ideia da arte é uma capa icônica e atemporal, já que a banda apresenta um rock contemporâneo que não remete a nenhuma década passada, nem futurista. “A impressão que queremos passar é de que, se ela fosse lançada há 20 anos seria percebida como atual, do mesmo jeito que a cinco anos à frente”, afirma Picinini. A bola amarela foi inspirada na frase de Pablo Picaso: “Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol”. Esse argumento tem relação com o fato de que o conteúdo profundo e reflexivo das letras é uma das principais características do álbum. O líquido escorrendo faz referência ao mundo líquido do sociólogo polonês Zygmunt Bauman, pois a banda explora muitos universos e subgêneros dentro do próprio estilo, e se adapta a diversos temas facilmente.

Após quatro anos intensos de gravação e produção, CONATUS será lançado em agosto de 2017, com o primeiro show da turnê previsto para 9 de setembro, em Caxias do Sul. Até lá, a banda prepara uma série de ações de divulgação para o lançamento do terceiro álbum, que os integrantes consideram como seu marco zero.

Sobre a ZAVA

Com músicas que transitam entre a introspecção e a explosão e têm como protagonista a mensagem contida em suas letras, a ZAVA, formada no inverno de 2003, explora em suas composições temáticas sociais, políticas, existenciais e dilemas contemporâneos. Adepto do espírito “faça você mesmo”, o trio se prepara para lançar um novo disco, realizado de forma totalmente independente, composto, produzido e gravado pela banda em seu próprio estúdio, em Caxias do Sul – RS. A ZAVA é: André Quadros (bateria), Daniel Antoniazzi (contrabaixo) e João Perez (voz e guitarra). Mais informações no site www.zavaoficial.com.

Duo de Viola e Acordeon – Circuito RS participa dos 142 anos de Soledade

soledade-RS

O show do projeto Duo de Viola e Acordeon – Circuito RS, com os músicos Valdir Verona e Rafael De Boni, faz parte das atrações desenvolvidas pelo município de Soledade para a comemoração do 142º aniversário da cidade. O show da dupla terá entrada franca e acontecerá na quarta-feira, 29 de março, às 16h, no Parque de Eventos Centenário Rui Ortiz, em Soledade. A apresentação faz parte do projeto de circulação financiado pelo Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul.

Com formação musical eclética, Verona e De Boni criaram o Duo Viola e Acordeon em 2006, e desde então consolidaram-se com uma das duplas de maior prestígio no circuito da música instrumental do Sul do Brasil. Aclamados pelo público e respeitados pela crítica, Verona e De Boni dedicam-se ao fazer musical de qualidade, associando o encanto da viola com a ressonância vigorosa do acordeon. Dessa união surgem canções autorais de amplo alcance, que não se limitam ao regionalismo sulista. Na interpretação da dupla é possível fruir do jazz à milonga, do tango à MPB. Claro que, em homenagem às origens, no repertório não faltam temas de domínio público e releituras de clássicos do folclore gaúcho.

Em pouco mais de uma década, o Duo de Viola e Acordeon emocionou o público em vários rincões do Estado, e também Brasil afora. Seu primeiro CD (Encontro das Águas) foi indicado ao Prêmio Açorianos, o mais importante do Rio Grande do Sul. O disco seguinte, homônimo à dupla, conquistou o Prêmio Vitor Mateus Teixeira e foi indicado ao Prêmio da Música da Serra Gaúcha. A dupla também gravou um DVD ao vivo, com a participação de Yamandu Costa, e participou de festivais em cidades como Brasília e Tatuí.

O projeto Duo de Viola e Acordeon – Circuito RS tem como proposta a circulação do show composto por músicas dos dois primeiros álbuns e do DVD da dupla, difundindo ainda mais a música instrumental de qualidade e valorizando as peculiaridades sonoras da viola de 10 cordas e do acordeon.

Valdir Verona

Caxiense, desenvolve um trabalho de resgate da viola na música do Sul por meio de recitais, shows, composições, gravações, edições de partituras, aulas e oficinas de música. Assina sete CDs, um DVD e três livros com CDs encartados, além de diversas participações em gravações e produções de CDs e DVDs. Conquistou o Prêmio Excelência da Viola Caipira em duas edições. No Exterior, representou o Brasil na homenagem ao país no Fórum Econômico Mundial de Davos/Suíça em 2012 e na 25ª Feira Internacional do Livro de Bogotá/Colômbia.

Rafael De Boni

Natural de Vacaria, começou por lá seus estudos de acordeon e de contrabaixo elétrico. Participou de festivais e de gravações com bandas e artistas solo nos mais variados estilos, destacando-se o CD Jazz Brasil, com a Free Note Jazz Quartet, o DVD da Banda Kriz, o CD Triacústico, o CD Encontro das Águas e o DVD ao vivo com Valdir Verona. Atualmente, além do Duo de Viola e Acordeon, atua ainda no Projeto CCOMA e com a cantora Tatiéli Bueno, entre outros artistas.

Serviço

Show do Duo de Viola e Acordeon – Circuito RS nos 142 anos de Soledade

Quando: quarta-feira, 29 de março, às 16h.

Onde: Parque de Eventos Centenário Rui Ortiz (Av. Júlio de Castilhos, 3743, Soledade)

Entrada franca

Financiamento: Financiarte