Duo de trombone e piano resgata formação da identidade musical brasileira

Foto duo Paulo Fernando Ferreira  e Fernando Rauber  credito Ester Chaves Rodrigues

Um projeto genuinamente nacional. Assim é o Alma Brasileira, um duo de trombone e piano que conta a história da música de concerto do país dos séculos 19 e 20 por meio de composições consagradas daquele período. A primeira das cinco apresentações previstas ocorre nesta sexta-feira, dia 15 de agosto, às 20h, na Igreja Nossa Senhora de Lourdes, em Caxias do Sul. A entrada é franca.

O que o público poderá conferir neste recital é resultado da pesquisa e experimentação da dupla Paulo Fernando Ferreira (trombone) e Fernando Rauber (piano) com composições de importantes nomes, como Chiquinha Gonzaga, Heitor Villa-Lobos, Ernani Aguiar, entre outros. As músicas são bem conhecidas, o que denota um dos objetivos do projeto: demonstrar a popularidade da música de concerto, o que não é percebido pela maioria dos ouvintes.

O período escolhido para o resgate histórico se deu justamente por ser o início da construção da identidade musical brasileira. Na segunda metade do século 19, os compositores passaram a deixar de lado a influência europeia, e começaram a agregar elementos essencialmente brasileiros em suas composições.

O recital traz três momentos distintos deste processo de formação da identidade musical brasileira. Para representar o princípio, os músicos executam composições de Joaquim Callado, Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga. Já para marcar a consolidação deste panorama, foram escolhidas obras de Villa-Lobos e Ernani Braga. E, para mostrar a utilização madura da síntese desses elementos em uma nova musicalidade brasileira, surgem músicas de Camargo Guarnieri, Francisco Mignone e Osvaldo Lacerda. Confira o repertório completo abaixo do texto.

O projeto é custeado pelo Financiarte da Prefeitura de Caxias do Sul, e prevê mais quatro apresentações, sendo duas delas em Caxias do Sul, e as restantes em Carlos Barbosa e Veranópolis.

PERFIL

Paulo Fernando Ferreira (trombone) começou a atuar como trombonista em 1985. Desde l&aa cute;, tocou em diferentes orquestras e projetos, como a antiga Orquestra Sinfônica de Caxias do Sul (OSCA), a Banda de Música da Base Aérea de Canoas, a Orquestra Popular de Porto Alegre. Atualmente, coordena o naipe de metais da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (OSUCS), na qual também é primeiro trombone-solista. Integra ainda o quinteto de Metais da OSUCS, e participa como músico convidado de diversos grupos e orquestras da região.

Fernando Rauber (piano) possui mestrado em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Já tocou na Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), e foi bolsista no Chautauqua Music Festival, nos Estados Unidos. Atualmente, é docente do Curso de Licenciatura em Música da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e pianista da OSUCS. Participa ainda de intensa atividade com música de câmara com diversos instrumentistas e cantores do estado.

REPERTÓRIO:

Gilberto Gagliardi – Cantiga Brasileira
Cláudio Santoro – Acalanto da Rosa
Ernani Braga – Engenho Novo
Ernani Braga – Kinimbá
Francisca Gonzaga – Gaúcho
Joaquim Antonio da Silva Callado e Catullo da Paixão Cearense – Flor Amorosa
M. Camargo Guarnieri – Cantiga
Ernesto Nazareth – Odeon
Ernani Braga – São João
H. Villa-Lobos – Canção do Amor (4 canções da Floresta Amazônica)
Alfredo da Rocha Viana Filho “Pixinguinha” – Rosa Francisco Mignone – Quadrilha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s