Eloy Fritsch receberá o Prêmio Açorianos de Música 2009 – Menção Honrosa

apocalypse_eloy

O compositor, tecladista, professor e pesquisador caxiense, Eloy Fritsch, receberá, no dia 28 de abril, o Prêmio Açorianos de Música – Menção Honrosa, pela sua contribuição ao cenário musical gaúcho. A entrega do Troféu será realizada no Teatro São Pedro, em Porto Alegre.

Eloy F. Fritsch (1968 – ) iniciou sua carreira musical em 1983 quando criou, com seus amigos de escola, o grupo de rock progressivo Apocalypse, o mais representativo do gênero no sul do Brasil. Ao utilizar diversos sintetizadores e teclados eletrônicos, o músico começou a receber destaque através de sua atuação nos palcos e gravações. Com o Apocalypse, Fritsch recebeu o prêmio de melhor instrumentista no FestPop, em 1991 e, em 1993, assina contrato com a gravadora MUSEA, da França, para lançamento de 3 CDs do Apocalypse na Europa, divulgando a música feita no RS para o mundo.  O Apocalypse lançou 10 álbuns e 2 DVDs e Fritsch foi escolhido por 4 vezes o melhor tecladista de rock progressivo do Brasil, em eleição realizada pelo site Rock Progressivo Brasil (RPB) (www.rockprogressivo.com.br). Em 1999, foi escolhido o melhor tecladista do festival ProgDay, quando o Apocalypse gravou seu álbum duplo ao vivo, nos Estados Unidos. Fritsch já foi matéria nas revistas “Keyboard” (USA), “21st Century Music” (Itália), “E-dition” (Holanda) e destaque nas revistas brasileiras “Teclado & Áudio” ,  “Música & Tecnologia”e “Cover Teclado”.

As composições do músico foram selecionadas para várias coletâneas realizadas em CD e lançadas em diferentes países: Le Melleur du Progressif Instrumental (França), Margen (Espanha), Mellotron (Argentina), E-dition (Holanda), Planeta Nova Era (Brasil) e Brasil Instrumental 2006 (Brasil).  O tecladista foi consultor da Roland do Brasil e atualmente é endorser dos teclados  Tokai e dos sintetizadores Labolida.

Após o doutorado assumiu como professor do Departamento de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, criando o Centro de Música Eletrônica do Instituto de Artes – um conjunto de 3 estúdios de música eletroacústica destinados às atividades de composição por computador. Fritsch foi professor da nova geração de músicos eletrônicos gaúchos e de tantos outros compositores que realizam música eletroacústica. Introduziu a linguagem Max/MSP e diversas técnicas de composição por computador no Rio Grande do Sul. Em 2008 lançou o DVD Música Computacional e Eletrônica e o Livro Música Eletrônica – Uma Introdução Ilustrada pela Editora da UFRGS. Nestas obras a música eletrônica é apresentada como uma modalidade de composição que expandiu o material sonoro da música tradicional e prosseguiu para uma nova arte sônica, diferente da música instrumental, chamada de música eletroacústica.

Mais informações:

Myspace do Apocalypse:

www.myspace.com/apocalypsebr

 Site oficial do músico eletrônico:

www.ef.mus.br

 Site do Centro de Música Eletrônica da UFRGS:

www.ufrgs.br/musicaeletronica

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s