Muito além de uma breve história da música em Caxias

Banda Game Over em 1994

Banda Game Over em 1994

No programa dessa quinta, dia 16, às 18h, os nossos convidados serão o jornalista Marcelo Mugnol e o DJ Mono. Vamos bater um papo sobre o documentário (informações abaixo) e sobre a velha guarda da música Caxiense.

———————————

Um filme sobre música. Ou melhor, um filme sobre a música de Caxias do Sul. Melhor ainda, um filme sobre gente que fez (faz) música própria em Caxias. E no meio disso tudo, uma porção de gente discutindo porque raios a produção de música em Caxias não consegue alçar vôo e consolidar-se noutras plagas. Tem exceções, é claro, e essas exceções são “o charme” do documentário.

O fio condutor do documentário são as memórias do Jorge de Jesus (roteirista e diretor do filme) pelo universo da música em Caxias. Jorge atualmente é DJ e é conhecido pelo codinome de Mono. Mas Jorge foi vocalista, produtor de banda, roadie, colador de cartaz na madrugada, empresário, dono de bar, e ultimamente anda flertando com fotografia. No cinema dirigiu dois filmes de ficçãoSapateiro” e “Um Dia na Vida”, ambos financiados pelo Fundoprocultura.

A partir das memórias do Jorge, o documentário vai costurar a vida e obra de diferentes personagens da música de Caxias. Da Lobo da Estepe, marco do rock na cidade, chegando até os dias atuais e a penca de novas bandas que não param de aparecer (e sumir) do dia pra noite. Não é um filme sobre o Jorge, mas um documentário em primeira pessoa em que o Jorge vai mesclar suas lembranças as lembranças dos entrevistados. Colocando no mesmo patamar gêneros distintos da música como pagode e metal.

Haverá a apresentação de muito material inédito inclusive com shows gravados em vídeos nas décadas de 80 e 90. Registros esses que as traças comeriam, não fosse o interesse do Jorge em revelar ao público quem são os personagens que construíram as bases para a música autoral em Caxias e que desde os anos 70 vem modificando a maneira de a juventude pensar. Ao mesmo tempo em que revela acontecimentos e recorda pessoas importantes, o documentário lança aos entrevistados (e consequentemente aos espectadores) perguntas que tem o claro objetivo de esclarecer porque a música produzida em Caxias é nada, ou quase nada, valorizada em Caxias. O documentário é financiado pelo Fundoprocultura, da prefeitura de Caxias do Sul.

VOLUME UM EM ALTO E BOM SOM

Direção e roteiro: Jorge de JesusAssistente de direçãoMarcelo MugnolProdução: Lindonês SilveiraPesquisa: Jorge de Jesus e Liana Pulita Martini Produtora: DUAL

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s