Banda Cellina lança Arpoador

Show de lançamento do primeiro disco da banda caxiense será no Teatro do SESC Caxias, dia 23 de novembro, com entrada franca

Cellina - Maurício Concatto

O rock alternativo da Cellina ganha o palco do Teatro do SESC Caxias no dia 23 de novembro, quando a banda caxiense faz show de lançamento do seu primeiro álbum, Arpoador. As nove faixas do CD, financiado pelo Financiarte, edital da Prefeitura de Caxias do Sul, serão executadas ao vivo para marcar uma nova fase da banda. A entrada é franca e o CD estará à venda no local a R$ 10.

A formação da Cellina tem base em 2009, ainda com o nome de Open. De lá pra cá a banda intervalou seus trabalhos e aparições e trocou de nome em 2015. Então como Cellina, consolidou-se no cenário underground de Caxias com músicas próprias influenciadas pela pegada do hard rock, do hard core e do grunge. “Cada um de nós trouxe suas influências, e chegamos a um rock alternativo para definir nosso estilo, na linha do Foo Fighters”, explica o baterista Guilherme Mello, que completa o power trio com Jhéferson Messias (vocal e guitarras) e Alexandre Tatto (baixo).

As letras assinadas por Jheferson refletem sobre relacionamentos e temas existenciais. Resumo dessa temática está em Encontrar, música de trabalho de Arpoador. “Um dos diferenciais são mesmo as letras, mais elaboradas, que se relacionam muito bem com o nosso público. Tivemos muitos feedbacks positivos em relação a isso”, comenta Guilherme. Vale lembrar que a Cellina já abriu shows de bandas como Fresno e Matanza.

O disco foi gravado no estúdio Linha Sonora e tem produção musical de Jonas Godoy. No show do dia 23, a banda terá participação especial do guitarrista Cássio Vianna.

Anúncios

Sertanejo evangélico para louvar a Deus

Cantor gospel João Sadraque lança dia 12 de novembro seu segundo disco, Minha Força é o Senhor

IMG_9786

O cantor gospel João Sadraque apresenta dia 12 de novembro, em show na Igreja Assembléia de Deus do bairro Desvio Rizzo, em Caxias do Sul, o segundo disco de sua carreira, Minha Força é o Senhor. Mais do que um show, o artista encara a oportunidade como um culto de gratidão a Deus “por mais uma conquista alcançada”. O show tem entrada franca. O disco, custeado pelo Financiarte, da prefeitura de Caxias do Sul, estará à venda no local a R$ 20.

João já é conhecido na comunidade evangélica de Caxias e região por interpretar canções no estilo sertanejo evangélico. Aos 24 anos e encarando agora o desafio do segundo disco, quer ampliar o alcance de suas “mensagens através das canções a todas as pessoas que reconhecem a necessidade de Deus em suas vidas”. Natural de Júlio de Castilhos, chegou em Caxias ainda menino e, a partir dos oito anos, começou a cantar. “Minha primeira oportunidade foi na igreja Assembléia de Deus em Caxias. Desde então, peguei gosto pela música e comecei a receber apoio da minha família, que junto comigo descobriu e celebrou esse meu dom. Atualmente, canto em diversos eventos. Onde me convidam, lá estou eu”, orgulha-se João, que também dá aula de música.

Em Minha Força é o Senhor o músico segue a proposta do primeiro CD, ou seja, letras de louvor a Deus embaladas pelo ritmo popular do sertanejo. “Procurei não sair muito da idéia do primeiro disco, porque percebi que o público o recebeu muito bem. Apenas procurei acrescentar algo mais universal, não somente para o público jovem, mas para todas as idades”, comenta o autor das 14 faixas do disco, gravado no JV Studio, em Caxias – a gravação teve a participação de vários instrumentistas conceituados na cidade.

Para o show, João estará no palco com a banda que o acompanha há mais de dez anos. Ele não esconde a expectativa de lançar o novo trabalho, mas ainda mais de louvar a Deus. “Acredito que um dos maiores meios de evangelização é a música cantada. É um dos mais importantes tópicos de estratégia para levar uma pessoa a ter um encontro com Deus”.

Rock’n Brew une música e cerveja artesanal

Evento aberto ao público traz a mistura que tem agradado ao público da Serra Gaúcha

ZAVA-rock-n-brew-conatus-lançamento-na-fabbrica-com-salve-jurema-04

Festivais de rua têm caído no gosto do público da Serra Gaúcha nos últimos tempos. Se há música ao vivo e cerveja artesanal, então, multidões interditam as ruas. A primeira edição do Rock’n Brew ocorre domingo, dia 12 de novembro, e vem com esse objetivo: proporcionar uma forma de lazer que, há pouco tempo, não existia na região, mas que agora já é a primeira opção de muita gente para passar uma tarde de domingo.

A Cervejaria Salvador e a banda ZAVA promovem o evento aberto ao público, que começa às 14h na Fabbrica Complexo Cultural e Gastronômico, em Caxias do Sul. O show será de lançamento do terceiro e mais conceitual disco da ZAVA, o Conatus. Já é possível desfrutar as músicas do álbum, que estão disponíveis nas plataformas digitais, em canais como Deezer, Spotify, Apple Music e Google Play. Com a mesma formação de power trio que conserva desde 2010, a banda consolida-se com um rock contemporâneo e polirrítmico, conduzido na base da energia, da vibração e da originalidade.

Programação

Rock’n Brew

14h – Abertura do evento

15h – Show de abertura com a Banda Salve Jurema, de São Marcos

16h30 – Show de lançamento do CD Conatus, da banda ZAVA, de Caxias do Sul

Cervejaria Salvador

Caxias do Sul ganha mais um atrativo turístico para amantes de cerveja artesanal. Os irmãos Leonardo e Andrigo Salvador, com os sócios Cláudio Ferreira Costa, Fabiano Gasperin e Jocemar Gross, inauguraram em setembro o Salvador Tap Room, na Fabbrica, complexo gastronômico e cultural que ocupa um pavilhão histórico atrás da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes. O local inaugurado em 1942 passou por processo minucioso de restauração nos últimos sete meses, mantendo as características originais da construção.

O tema clássico dita os ambientes do Salvador Tap Room, que segue o conceito militar no projeto desenvolvido pela arquiteta Mariana Marchioro. “Pesquisamos e buscamos itens militares raros em antiquários e com colecionadores para traduzir no Tap Room o espírito da nossa marca”, comenta Leonardo. No Tap Room, cada detalhe remete a histórias militares: as mesas receberam a gravação do nome de batalhas históricas da II Guerra Mundial, como Iwo Jima, Stalingrado e Normandia.

Banda ZAVA

Com músicas que transitam entre a introspecção e a explosão e têm como protagonista a mensagem contida em suas letras, a ZAVA, formada no inverno de 2003, explora em suas composições temáticas sociais, políticas, existenciais e dilemas contemporâneos.

Construída ao longo dos últimos quatros anos, Conatus é uma obra completamente independente. André Quadros (bateria), Daniel Antoniazzi (contrabaixo) e João Peres (voz e guitarra) inspiraram-se no estilo “faça você mesmo”, montaram seu próprio estúdio, produziram, gravaram, mixaram e masterizaram suas próprias canções e agora lançam o trabalho satisfeitos com o resultado alcançado depois de tanto suor. Essa determinação relaciona-se com a abrangência do termo “Conatus”, um conceito filosófico que aponta, entre outros significados, o de que o homem é movido unicamente por seus desejos.

“Levamos quatro anos para conceber esse trabalho, tudo foi feito da forma mais autônoma possível. E isso demandou muito esforço, muito tempo. Se não fosse esse o nosso desejo real, já teríamos desistido”, observa João Peres, autor de letras que flertam com filosofia, psicologia, política, sociologia e existencialismo. O discurso da ZAVA em Conatus, no entanto, está longe de ser panfletário e pretensioso. Se há alguma complexidade, ela está nas entrelinhas, e essas reforçam a maturidade sonora de quem deseja, entre outras coisas, forjar seu marco zero. Detalhe: tudo em claro e bom português.

A singularidade deste novo trabalho se dá também no instrumental do power trio. Os riffs e timbres certeiros de guitarras complementam as construções (e desconstruções) do baixo a da bateria, a resultar em características do rock progressivo, do stoner rock, do grunge e até da música regional brasileira. Uma sonoridade contemporânea que contempla influências pessoais de cada integrante, o que faz emoção e razão andarem lado a lado.

As primeiras pistas dessa consistência sonora estão em Em Círculos e Daqui de Dentro, dois primeiros singles lançados nas plataformas digitais e Como Um Sopro de Silêncio, disponibilizada no site da banda (www.zavaoficial.com) como parte da estratégia de divulgação de Conatus, que tem 12 músicas, mais três faixas bônus na versão de luxo. “A ideia desse trabalho é ir além do comum, é provocar reflexões, é dar novas interpretações para situações cotidianas”, complementa André Quadros.

Serviço

Rock’n Brew

Quando: Domingo, 12 de novembro

Onde: Fabbrica Complexo Cultural e Gastronômico (Rua Nelson Dimas de Oliveira, 11)

Horário: a partir das 14h

Entrada Franca

Banda Cadiablo faz show de lançamento do primeiro disco

Músicas de Ruas Escuras serão interpretadas ao vivo dia 11 de novembro, em Caxias

capa cadiablo

A banda caxiense Cadiablo sobe ao palco do Sala de Teatro Valentim Lazarotto, dia 11 de novembro, a partir das 20h, para o show de lançamento do seu primeiro disco, Ruas Escuras. O trabalho, custeado pelo Financiarte, da prefeitura de Caxias do Sul, tem 13 faixas, todas com a pegada rock característica do grupo. A entrada é gratuita.

O power trio mantém a mesma formação desde os primeiros ensaios, em 2012: Douglas Pezzi (vocal e baixo), Marcos de Vargas (guitarra e backing vocals) e Vinicius Assmann (bateria e backing vocals). Agora, prestes a completar cinco anos de estrada com shows em Caxias do Sul e região, celebra um estágio bem mais profissional. “O lançamento do disco é um marco na nossa trajetória, porque a partir desse trabalho queremos alçar vôos bem mais altos”, projeta Douglas.

As faixas de Ruas Escuras são cantadas em português, com exceção de Devil’s Train, e seguem uma linha melódica bastante eclética, com nuances de blues, progressivo e hard rock. As influências partem de Black Sabbath, ZZ Top, Motörhead e Black Country Communion. Apesar da fusão de estilos, a Cadiablo prefere resumir-se a um rótulo: banda de rock. O trio se revezou nas composições, “que iam surgindo quase que em uma “jam session”, comenta Marcos. A maioria das letras, inspiradas no típico perfil roqueiro on the Road, são assinadas por Douglas. “Algumas são mais sombrias, outras mais animadas”, brinca. Gravado no estúdio Linha Sonora, o disco tem produção de Jonas Godoy, que fez participação especial em algumas faixas com teclado, violão e vocais.

No show do dia 11, a Cadiablo quer botar toda a energia no palco para mostrar a que veio. “No disco procuramos manter essa pegada dos shows, que é uma de nossas características mais marcantes”, revela Vinicius. Vale lembrar que o CD será vendido no local a R$ 20 – e haverá ainda o combo a R$ 40, que dá direito à camiseta com o logo estiloso da banda.

SERVIÇO

O quê: show de lançamento do disco Ruas Escuras, da banda Cadiablo

Quando: dia 11 de novembro, sábado, às 20h

Local: Sala de Teatro Valentim Lazarotto, junto ao Centro de Cultura Ordovás

Quanto: entrada franca

Financiamento: Financiarte – Prefeitura de Caxias do Sul

Ficha técnica Disco Ruas Escuras

13 faixas – Produção musical: Jonas Godoy/ Gravado, mixado e masterizado no Linha Sonora Estúdio

Produção cultural: Caliandra Troian / Fotografias: Elisa Assman / Design gráfico: Egge Agencia Digital

 

Banda Underload estreia novo videoclipe

Lançamento do clipe de Russian Roulette será dia 12 de novembro, no Ordovás

Underload 1 - Crédito Lú Ruzzarin Basso

 A Underload, de Caxias do Sul, apresenta dia 12 de novembro o videoclipe de RussianRoulette, a música de trabalho que melhor representa o estilo da banda. A sessão, que ocorre na Sala de Teatro Valentim Lazarotto a partir das 20h, será acompanhada de um show especial da banda, que além de interpretar as músicas que estão no CD também mostra composições inéditas. A entrada é a doação de um quilo de alimento não-perecível.

RussianRoulette já é bastante conhecida pelos fãs da Underload, mas agora, em videoclipe, oferece uma fruição visual e estética bastante instigante. Dirigido por Leonardo Vivan, que também assina o roteiro em parceria com o grupo, e custeado pelo Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul, o clipe explora a figura de um vulto misterioso como sendo uma metáfora da nossa voz interior. O guitarrista e fundador da banda, Sasha Z, explica melhor: “O vulto representa aquela consciência que às vezes nos aponta qual a melhor atitude a tomar, dá conselhos ou dá as cartas, literalmente. A figura do vulto aparece em situações cotidianas, como em um jogo de cartas com os amigos ou no trânsito, por exemplo, sempre sugerindo uma atitude, uma iniciativa. Por outro lado, o clipe provoca diferentes interpretações. E foi isso o que sempre desejamos com as nossas músicas, estimular diferentes pontos de vista e compreensões”, destaca o guitarrista. Segundo ele, RussianRoulette é a música que mais simboliza o estilo da Underload, e seu videoclipe será considerado um cartão de visita da banda.

Para o diretor, cada vídeo tem uma história, um desafio e uma expectativa. “Para mim, o diferencial sempre será a música. O clipe é uma ferramenta de divulgação, de valorização da canção. Se a música não bater, o videoclipe não vai conseguir”, observa Vivan. No caso de Russian Roulette, deu tudo muito certo. “Para esse clipe utilizamos bastante movimentos de câmeras e exploramos o efeito de flare (efeito ótico causado quando a luz entra diretamente através das extremidades da lente). Enquanto a Underload está tocando, puxamos cores mais quentes e vivas. Quando aparece as cenas da história, utilizamos cores mais sóbrias e escuras”, adianta Vivan, que já dirigiu para a Underload os clipes de Love Can Wait e Mad Love.

As gravações de RussianRoulette foram realizadas em três dias e tiveram como cenário a própria Sala de Teatro do Centro de Cultura Ordovás, onde ocorre o show, e em uma estrada no distrito de Fazenda Souza, interior de Caxias. A partir do dia de lançamento, o videoclipe vai estar disponível no canal da banda no YouTube (http://www.youtube.com/bandaunderload).

A banda

A Underload surgiu em 2012 e desde então garante um espaço importante na cena roqueira de Caxias do Sul e região da Serra Gaúcha. Formada atualmente por Sasha Z (guitarra), Beto Vianna (vocal) e Joce Cristóvão (baixo), a banda faz um hard rock repleto de groove, melodias fortes e riffs marcantes, influenciada por nomes como Led Zeppelin, Black Country Communion, Aerosmith, Black Sabbath e Winery Dogs. O disco de estréia, homônimo ao grupo, foi lançado em 2014 e teve ótima aceitação de público e mídia especializada. Entre os sucessos estão Mad Love e RussianRoulette.

SERVIÇO

Lançamento do clipe da música RussianRoulette, da banda Underload

Quando: dia 12 de novembro, domingo, às 20h

Local: Sala de Teatro Valentim Lazarotto, junto ao Centro de Cultura Ordovás

Quanto: o ingresso é um quilo de alimento não-perecível

Financiamento: Financiarte – Prefeitura de Caxias do Sul

Leonel Costa lança o seu álbum de estreia, Nó de Pinho

capa-cd-no-de-pinho-leonel-costa

Foto: Marcelo Casagrande

O compositor e violonista caxiense Leonel Costa faz show de lançamento do seu primeiro CD autoral, na segunda-feira, dia 9 de outubro, às 18h, no Palco Central da Feira do Livro de Caxias do Sul. Intitulado “Nó de Pinho” – fazendo referência tanto aos pinheiros típicos da região da Serra Gaúcha, quanto ao violão, também conhecido como pinho – o álbum possui 10 músicas instrumentais, sendo uma delas criação de Ezequiel Duarte, que também faz participação especial na faixa. O material, que ainda conta com participação de outros músicos, tem financiamento do Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul.

O álbum traz faixas com diversos significados, tendo alguns títulos de homenagens, como “Ao Jardim” dedicada ao já falecido professor de música Carlos Jardim, ou “Garotero” alusiva ao compositor e instrumentista Garoto. O CD estará à venda no dia do show por R$ 10,00. 

 

Leonel Costa

É um músico multi-instrumentista que começou como autodidata em sua cidade natal, Caxias do Sul. Fez parte dos grupos Seresteiros do Luar, Diabo a Quatro e Duo Avesso, Cachaça de Rolha, RegraTrês, Poder da Criação e Choro Hy-Brasil. Participou da gravação do CDs “Amor Atemporal”, de Pietro Ferretti e “Sevícias Emocionais”, de Augusto Nesi. Atuou, durante três anos, como violonista do Coral Unibanco de São Paulo, sob regência do maestro Wilson Sá Brito. Também participou da Maratona de Paris como integrante da escola de samba irlandesa Morro 16. Atualmente reside em Caxias do Sul onde se apresenta como violonista solo, músico de apoio de alguns intérpretes como Ana Jardim.

Plano 13 lança seu primeiro disco, Longe do Impossível

Plano.jpg

A banda de pop rock caxiense Plano 13 lança nesta sexta-feira, dia 6, seu primeiro disco, Longe do Impossível. O show com entrada gratuita ocorre a partir das 20h, na Sala de Teatro Valentim Lazzarotto, junto ao Centro de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho. O CD é financiado pelo Financiarte, da Prefeitura de Caxias do Sul.

O trabalho autoral de 12 canções reflete bem o estilo da banda, formada em 2011: uma harmoniosa mistura de rock e pop, com influências do reggae e do RAP. No repertório do show desta sexta-feira o grupo vai interpretar, além das faixas do disco, alguns covers, os quais prefere guardar como elemento surpresa. Entre as influências da Plano 13 estão bandas como Charlie Brown Jr., CPM22, Legião Urbana, Tihuana e Red Hot Chili Peppers.

Formada por Rogério Henquer (voz, guitarra e violão), Alan Pavan (guitarra, violão e backing vocal), Gabriel Cardoso (baixo e backing vocal) e Ismael Galiotto (bateria), a Plano 13 já tem alguns trabalhos de destaque no meio cultural de Caxias e algumas regiões do Rio Grande do Sul, a exemplo dos singles Berlinda e 3 Anos Atrás. Na trajetória do grupo também se destacam as canções Aquela Arte e Caminhos, uma das músicas de trabalho de Longe do Impossível.

A produção do disco é assinada pelo vocalista da banda e por Edu Coelho, que já assinou parcerias com Hique Gomez, Claus & Vanessa e Rosa Tattooada. No dia 14 deste mês a banda também se apresenta na Festa Nacional da Música, em Porto Alegre.